terça-feira, 9 de abril de 2024

Como é a Visão de Quem Tem Glaucoma?

Neste vídeo esclarecedor, vamos explorar como é a visão de pessoas que sofrem com o glaucoma, uma doença ocular crônica que pode levar à perda progressiva da visão. O glaucoma é caracterizado pelo aumento da pressão intraocular, o que causa danos ao nervo óptico e compromete a capacidade visual. Durante o vídeo, vamos discutir os efeitos do glaucoma na visão. Explicaremos como o campo visual é afetado, com ênfase na perda periférica da visão. Veremos também como o glaucoma pode levar a uma visão embaçada, dificuldade para enxergar em ambientes com pouca luz e sensibilidade ao contraste reduzida. Além disso, abordaremos os estágios avançados do glaucoma, nos quais a visão central também pode ser comprometida. É importante ressaltar que cada caso de glaucoma é único e os sintomas podem variar de uma pessoa para outra. No entanto, entender como a doença pode afetar a visão é fundamental para a conscientização e para a busca de tratamento adequado. Assista a este vídeo informativo e compreenda melhor como o glaucoma pode influenciar a visão, aumentando a conscientização sobre essa condição ocular séria. Lembre-se de que a detecção precoce e o tratamento adequado são essenciais para retardar a progressão do glaucoma e preservar a saúde visual.


quinta-feira, 4 de janeiro de 2024

Os Desafios da Fotografia para um "Baixa Visäo"

Qualquer pessoa com deficiência tem "aquele" sonho que acha que nunca vai conseguir realizar. Com baixa visäo, eu via meu pai e, mais tarde, meu irmão com suas possantes máquinas fotográficas (cada uma era o que havia
 de melhor em sua época), tirando fotos daqui e dali, enchwndo álbuns e caixas com sua arte e, vez ou outra, achando ruim quando uma ou outra foto não ficava boa. Casos raros.
Anos depois, experiência semelhante com minha sogra, outra apaixonada e fera na fotografia, sem falar no equipamento, vinte anos  mais avançado. E eu continuava só babando.
Minhas realizaçäo veio junto com as primeira cåmeras digitalis, que já nos davao a possibilidade de ver e fazer ajustes mínimos no que sairia após o clique. Mesmo falando conhecimento, pelo menos a máquina não era mais a roleta russa de antes.

Com o celular servindo para  tudo - até para bater fotos e... telefonar -, as coisas ficaram bem mais fáceis. Principalmente ao lado da assistente e modelo favorita.
Nem tudo são flores. Às vezes, o sol atrapalha. Mal vemos o que estamos fotografando. Batemos três ou quatro vezes a mesma foto "para garantir". Pensamos que a foto saiu nota mil, e a foto nem saiu. (Mas também acontece de acharmos que saiu uma tragédia e, ao contrário, a foto sai linda. Faz parte do processo.) O exercício é sempre tentar melhorar.